Como previu ontem o AviSite, os negócios com o frango vivo seguem repetindo os feitos de um mês atrás. Pois, ontem (3), primeiro dia de negócios de novembro, tanto em São Paulo como em Minas Gerais, o produto colocado à venda obteve, graças à pressão dos produtores, novo e consecutivo reajuste de cinco centavos. Como já havia ocorrido no primeiro dia de negócios de outubro.

 

Com os novos ajustes, a cotação do frango vivo no interior paulista chega aos R$4,40/kg, valor quase 5% ao vigente há um mês e mais de 50% superior ao registrado entre abril e maio deste ano, quando, como reflexo da pandemia e do isolamento social, os preços retrocederam aos menores valores da corrente década.

 

Em Minas, a cotação registrada mantém a diferença de 15 centavos em relação a São Paulo e chega aos R$4,55/kg, registrando valorização mensal de 7% e semestral de quase 57%.

 

Comparativamente aos valores vigentes há um ano e no início deste ano, as duas praças obtêm valorização superior a 30%. Mas isso não tem qualquer efeito econômico, pois os custos de produção evoluíram (e continuam evoluindo) muito acima desse índice.

 

No momento, a torcida do setor produtivo é pela continuidade dos eventos que marcaram o setor no mês passado e que agora dão sinais de repetição. Em outubro, no interior paulista, o frango vivo iniciou o mês cotado a R$4,20/kg e fechou o período a R$4,35/kg, enquanto em Minas Gerais a cotação foi de um mínimo de R$4,25/kg a um máximo de R$4,50/kg.

 

Se algo semelhante ocorrer, será bem-vindo, pois ajudará a minimizar os prejuízos que se acumularam nestes últimos meses. Fonte: AviSite

valenoticiapb.com.br – com Portal do Agronegócio